Select Page

Nas constantes idas e vindas do ambiente de treinamentos corporativos, um caso sobre o uso de LMS chamou a atenção: uma gestora de universidade corporativo confidenciou que apenas 10% dos treinamentos corporativos virtuais são concluídos. Ela acredita que a baixa retenção e conclusão do treinamento corporativo através do uso de LMS é baixa porque o conteúdo não é engajador, é denso, e pouco motivador.

Na contramão deste efeito, palavras como game learning e micro learning tem ganho força e relevância, principalmente pelo efeito positivo do treinamento corporativo aplicado com estas metodologias.  E o ensino baseado nos elementos dos jogos aumenta não somente o engajamento no aprendizado, como também a retenção no uso.

Aqui estão alguns pontos relevantes para a criação deste ecossistema eficaz de ensino corporativo aplicando estes conceitos:

1. Conheça a sua audiência

A temática do treinamento corporativo tem que espelhar as pessoas à serem treinadas. É importante definir o perfil das personas, linkando o conceito do treinamento à casos reais que remetem ao dia a dia do ambiente corporativo.

2. A aprendizagem e fixação tem que ser o objetivo final

A validação do conhecimento tem que ser uma constante. Pensando no conceito micro learning, treinamentos mais curtos com validação constante aumentam a capilaridade da absorção do conhecimento, tornando o treinamento menos maçante e mais ágil.

3. Treinamentos curtos, atómicos

O déficit de atenção para conteúdos audiovisuais é um processo que se inicia após 8 minutos de interação. Então, quanto maior o treinamento audiovisual aplicado em uma única sessão, menor a absorção do conteúdo pelo treinando. E este fator é diretamente ligado ao engajamento, uso e retenção.  

4. LMS invisível

Este é um conceito bastante relevante! É preciso tornar a capacitação um processo invisível, porém constante. A fluidez de forma não obrigatória, com pequenas pílulas do conhecimento aplicado à prática, é a melhor forma de capacitar e fixar o conhecimento. 

Todos estes elementos conectados, tendo a gamificação como motor de incentivo, é o nirvana do treinamento corporativo. E você precisa buscar este ambiente para promover o resultado esperado.

5. Como atestar o resultado do treinamento aplicado?

Prova ao final do treinamento? Você acredita mesmo que este mecanismo atesta a absorção do conteúdo? 

O “fim” precisa justificar o “meio”. O resultado deve ser medido não apenas ao final do treinamento, e sim diariamente com indicadores de desempenho. E a para isso:

“O que” treinar deve estar estrategicamente alinhado com os resultados esperados. Medir o antes, aplicar o treinamento, e acompanhar os resultados com métricas e indicadores garante ao principais stakeholders da organização a efetividade do treinamento, tangibilizado em resultado financeiro. E este é com certeza um dos principais desafios dos setor de R.H e universidade corporativa.